Treino, descanso e resultados. A rotina cobrada por todos os atletas.

Sem o devido repouso, o atleta começa a lutar para manter o rendimento e, frequentemente, fica muito mais cansado do que o habitual depois das atividades, podendo sentir até mais lesões.Noites mal dormidas, além de comprometerem seu ânimo e energia para o dia seguinte, minam um projeto de saúde.Seu organismo emite alguns sinais de que você está treinando demais e descansando de menos, um deles é a frequência cardíaca elevada, geralmente um indicativo de estresse físico ou emocional. Quando seu corpo está esgotado pelo treinamento e/ou tarefas do dia a dia, ocorre a produção de substâncias que podem te deixar mais irritado e ansioso.

Nosso corpo é submetido aos estímulos que as atividades físicas impõem, é durante o período de recuperação e, particularmente durante o sono, que os benefícios adaptativos se processam. Neste momento que produzimos o GH, que é o hormônio do crescimento. Ele que está responsável pelo nosso vigor físico, pelo nosso tônus muscular, para diminuir lesões das fibras musculares. Então é extremamente importante este hormônio na nossa rotina do dia a dia. Quem faz atividade física também terá um sono melhor. Os hormônios continuam atuando quando acordamos, por isso se exercitar pela manhã é mais indicado. Ou seja, o ideal seria fazer a atividade física depois do despertar

Outros sinais de alerta são muitos treinos com baixo rendimento, dores musculares periódicas e aumento do número de lesões. Um sono consistente é essencial para o crescimento e a reconstrução das fibras musculares, e noites de sono ruim em sequência podem ser devastadoras para a sua performance. Se você passa por um momento de estresse em alta na vida pessoal ou no trabalho, deve se pegar mais leve no treino.

O suplemento indicado para a recuperação do corpo no sono é a melatonina conhecida como hormônio do sono, ela é o produto hormonal da glândula pineal. Um elo funcional entre a glândula pineal e o tecido adiposo. Através de estudos foi mostrado que este hormônio aumenta a sensibilidade à insulina medida através de testes de captação de glicose, o que melhora o processamento de açucares pelo corpo. Fazendo com que o atleta consiga absorver mais rápido os nutrientes que serão direcionados com mais velocidade para o músculos gerando mais resultados.